Cuba condena explosões na maratona de Boston

Apesar de Cuba estar sob embargo econômico dos EUA há mais de meio século, Havana já manifestou solidariedade a Washington em outras ocasiões

O governo de Cuba condenou nesta terça-feira o atentado perpetrado ontem na maratona de Boston e transmitiu seu sentimento de pesar ao povo e ao governo dos Estados Unidos. Três pessoas morreram e mais de 170 ficaram feridas nas explosões.

Josefina Vidal, funcionária do Ministério das Relações Exteriores de Cuba, enfatizou que o país “rejeita e condena de maneira inequívoca todos os atos de terrorismo, em qualquer lugar, sob quaisquer circunstâncias e qualquer que seja o motivo”.

Ela expressou “o mais sentido pesar do povo e do governo de Cuba ao povo e ao governo dos Estados Unidos, particularmente àqueles diretamente afetados pela tragédia”.

Apesar de Cuba estar sob embargo econômico dos EUA há mais de meio século, Havana já manifestou solidariedade a Washington em outras ocasiões. A mais recente delas ocorreu em setembro do ano passado, quando o embaixador norte-americano na Líbia, Chris Stevens, foi morto num ataque ao consulado dos EUA em Benghazi.

Desde 1982, o governo dos EUA mantém Cuba em uma lista de países os quais acusa de “patrocinar o terrorismo”. Cuba rejeita a acusação. As informações são da Associated Press.