Cruz Vermelha suspende atividades em Bagdá

São Paulo – A Cruz Vermelha suspendeu suas atividades em Bagdá nesta quarta-feira, por considerar precária e perigosa a situação na capital iraquiana. Em comunicado, O Comitê Internacional da Cruz Vermelha informou que desde a tarde de ontem um delegado canadense da instituição está desaparecido após seu carro ter sido atingido em território iraquiano.

Tanques do exército americano já estão no coração de Bagdá. Os blindados chegaram por volta das 16h40 (9h40 horário de Brasília) desta quarta-feira em frente ao hotel Palestine, onde estão hospedados jornalistas estrangeiros. Ontem, um ataque dos Estados Unidos contra o hotel matou três jornalistas estrangeiros e outros três ficaram feridos.

O general Vincent Brooks, porta-voz do comando militar dos Estados Unidos no Catar, disse hoje que mais e 7 mil iraquianos foram feitos prisioneiros de guerra.

Quanto ao paradeiro de Saddam Hussein, as informações são imprecisas. Os jornais britânicos The Times e The Guardian afirmam nas suas edições de hoje que o líder iraquiano teria escapado dos bombardeios de ontem. Já o americano The Washington Post diz que fontes e inteligência dos Estados Unidos teriam visto Saddam entrar em prédio de Bagdá na segunda-feira, mas não o viram sair antes do mesmo prédio ter sido destruído por um ataque aéreo.

O papa João Paulo II voltou a discursar em favor da paz e lamentar as mortes no Iraque e que também vêm ocorrendo no continente africano, onde ocorrem massacres e execuções sumárias.