Croácia pede que Grécia pare de enviar refugiados aos Bálcãs

Os ministros de Interior da União Europeia se reúnem amanhã em Bruxelas para debater a resposta à crise migratória

Zagreb – A Croácia exigiu nesta segunda-feira que a Grécia impeça que refugiados vindos do Oriente Médio cheguem através de seu território ao resto da Europa.

“Esta situação, em que a Grécia esvazia seus acampamentos e manda os refugiados para Macedônia, Sérvia e Croácia, é absolutamente inaceitável”, declarou o ministro de Interior, Ranko Ostojic, na cidade de Tovarnik, perto da fronteira com a Sérvia.

“Se desejam deter esta onda (de refugiados), deve ser na fonte: entre Turquia e Grécia, só assim a situação melhorará”, destacou.

Os ministros de Interior da União Europeia se reúnem amanhã em Bruxelas para debater a resposta à crise migratória mais grave dos últimos 70 anos.

Ostojic afirmou que irá expor aos seus colegas europeus sua avaliação sobre como devem interromper o fluxo de refugiados rumo aos Bálcãs na Grécia e na Turquia.

Para ele, a UE deve criar “pontos de acesso” na Turquia, onde os refugiados possam apresentar suas reivindicações de asilo.

Cerca de 29 mil pessoas, a maioria vinda da Síria, chegaram à Croácia desde a Sérvia na última semana após seguirem a rota dos Bálcãs, que começa na Grécia.

Segundo dados do Ministério do Interior da Croácia, só seis refugiados que chegaram ao país solicitaram asilo.

A maioria quer seguir viagem para países ricos do norte da Europa, como Alemanha e Suécia, onde as condições de asilo são mais favoráveis.

A Croácia é membro da União Europeia, mas não é parte de sua zona de Schengen, de livre circulação em 26 países europeus.