Crescimento da Índia cairá para 5,4%

"Apesar da fraca perspectiva para a economia global, esta é uma queda muito maior que a esperada", anunciou o FMI

Nova Délhi – O crescimento anual da Índia deve cair a 5,4%, já que a série de reformas recentes não está sendo suficiente para compensar o fracasso dos investimentos em infraestrutura, indicou o FMI nesta quarta-feira.

O Ministério das Finanças já havia previsto uma expansão de 5,7 a 5,9% no ano fiscal de 2012/2013, mas o FMI projetou em seu relatório anual sobre a Índia uma redução mais pronunciada.

“Apesar da fraca perspectiva para a economia global, esta é uma queda muito maior que a esperada”.

Com eleições previstas para o começo do próximo ano, o primeiro-ministro espera que uma série de reformas de mercado apresentadas no ano passado e o corte da semana passada para cortar as taxas de juros pela primeira vez em nove meses incentivará a economia.

Em seu relatório, o FMI disse que “o governo já tomou medidas significativas para restaurar o crescimento”, com suas reformas, que incluem uma alta nos preços e planeja permitir que redes de supermercados estrangeiros como o Walmart para operar na Índia.

Contudo, o Fundo acrescentou que “é preciso fazer mais”.

A organização disse que a Índia estava pagando o preço por falhar em garantir que os investimentos em infraestrutura mantivessem o ritmo com o crescimento econômico da década anterior quando as taxas de crescimento estavam próximas aos dois dígitos.

As deficiências de infraestrutura na Índia ganharam destaque com os apagões do ano passado.

“Enfrentar as necessidades energéticas de longo prazo, por exemplo, demandará resolver complicados problemas relacionados ao carvão (que abastece a maioria das centrais elétricas da Índia), enquanto melhorar os engarrafamentos vai requerer a aquisição de terras para ampliar rodovias ou construir novas”.

A desaceleração no crescimento desencadeou uma queda do apoio para o partido no Congresso.