Correa suspende campanha após assassinatos no Equador

Dois simpatizantes de Correa foram mortos pelas mãos de um homem que os esfaqueou durante um comício

Quito – O presidente do Equador e candidato a reeleição, Rafael Correa, suspendeu temporariamente nesta terça-feira as atividades de campanha após o assassinato de dois de seus simpatizantes pelas mãos de um homem que os esfaqueou durante um comício, informou uma fonte da campanha.

“Esta decisão foi tomada por respeito às vítimas deste atentado que sofremos ontem”, disse à AFP o diretor do movimento governista Aliança País, Galo Mora.

O diretor afirmou desconhecer até quando a medida será mantida, embora tenha afirmado que, a princípio, seria apenas nesta terça-feira.

Duas pessoas morreram e quatro ficaram feridas na noite de segunda-feira ao serem esfaqueadas por um homem enquanto esperavam Correa para um ato de campanha em um anfiteatro da localidade de Quinindé (200 km a noroeste de Quito, na província de Esmeraldas).

O suspeito da agressão foi detido e nas próximas horas deverá comparecer a uma audiência de formulação de acusações, confirmou o ministro do Interior, José Serrano.

O incidente, que causou a morte de um homem e de uma mulher, ocorreu 20 minutos antes da chegada de Correa ao local, declarou à imprensa o prefeito de Quinindé, Manuel Casanova.

Um vídeo divulgado pela imprensa local mostra o agressor quando ele aparece entre a multidão e começa a atacar indiscriminadamente os simpatizantes com uma faca grande e, em seguida, foge.