Correa pede renúncia do gabinete após derrota nas municipais

O partido do governo perdeu as principais cidades do país

Quito – O presidente do Equador, Rafael Correa, disse nesta terça-feira que pedirá a renúncia de todo o gabinete após as eleições municipais de domingo, nas quais o partido do governo perdeu as principais cidades do país.

“Antes de 23 de fevereiro, independentemente dos resultados, acreditávamos na necessidade de oxigenar o gabinete (…). Amanhã (quarta-feira) terei uma reunião e pedirei a renúncia de todo o gabinete”, disse Correa no porto de Guayaquil.

O presidente reafirmou que “isto estava planejado desde antes dos resultados de 23 de fevereiro”.

A oposição de direita venceu as eleições de domingo para as prefeituras de Quito, Guayaquil e Cuenca, as três principais cidades do Equador, no maior revés para Correa e a Aliança País desde sua chegada ao poder, em 2007.

Em Quito, cidade de 2,2 milhões de habitantes, o opositor Mauricio Rodas, 39 anos, derrotou o atual prefeito, o governista Augusto Barrera.

Em Guayaquil, com 2,3 milhões de habitantes, o prefeito opositor, Jaime Nebot, foi reeleito ao derrotar Viviana Bonilla, 30 anos, candidata de Correa; e em Cuenca, a terceira cidade do Equador, com 712 mil habitantes, Marcelo Cabrera venceu o atual prefeito, o governista Paul Granda.