Correa pede licença da presidência para atuar em campanha

Correa pretende dedicar-se por um mês à tentativa de reeleger-se e está no primeiro lugar nas pesquisas eleitorais

Quito, 20 dez – O presidente equatoriano, Rafael Correa, pediu à Assembleia Nacional uma licença para ausentar-se por um mês do poder a fim de participar da campanha para as eleições do próximo dia 17 de fevereiro, quando tentará a reeleição.

Em entrevista coletiva na cidade de Guayaquil nesta quinta-feira, Correa afirmou que enviou ontem ao órgão parlamentar a solicitação de licença que, segundo disse, irá de 15 de janeiro a 14 de fevereiro.

Além de Correa, se apresentam como candidatos o ex-banqueiro Guillermo Lasso, o magnata Álvaro Noboa, o ex-presidente Lúcio Gutiérrez, o pastor evangélico Nelson Zabala, o esquerdista Alberto Acosta e os independentes Norman Wray e Mauricio Rodas.

Correa, que é favorito nas enquetes, lembrou que em outros países, como Brasil e Estados Unidos Brasil, os presidentes que tentam a reeleição não são obrigados a solicitar licença ao Parlamento.

Durante o mês da licença, caso seja aprovada em votação na Assembleia, a presidência será ocupada pelo vice de Correa, Lênin Moreno, informou o governante.