Coreia do Norte segue programa nuclear e ignora pacto do Irã

Em comunicado divulgado pela agência estatal "KCNA", o porta-voz afirmou que o regime de Kim Jong-un, se "mantém invariável em seu objetivo nuclear"

Seul – A Coreia do Norte não mudará sua postura a respeito do desenvolvimento de bombas atômicas devido ao recente pacto entre os Estados Unidos e o Irã, e vai manter seu status de país possuidor de armas nucleares, disse nesta terça-feira um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores.

Em comunicado divulgado pela agência estatal “KCNA”, o porta-voz afirmou que o regime de Kim Jong-un, se “mantém invariável em seu objetivo nuclear, sempre e enquanto os EUA continuarem com sua política hostil” contra a Coreia do Norte.

Pyongyang afirmou que as armas atômicas são “o instrumento essencial para proteger sua soberania e direitos fundamentais” frente à “ameaça nuclear” dos EUA, acrescentou a nota.

Dessa forma, a Coreia do Norte adota uma postura contrária a do Irã e afirma que não tem interesse em um diálogo para congelar ou desmantelar seu armamento nuclear de forma prévia e unilateral.

O porta-voz da diplomacia norte-coreana também classificou como “ilógico” comparar a situação entre os dois países, já que Pyongyang é “exposta a constantes atos hostis e a uma maior ameaça nuclear dos EUA, incluindo os exercícios militares conjuntos com a Coreia do Sul”.

A Coreia do Norte reitera que possui armas nucleares, “tanto no papel como na realidade”, e tem seus interesses próprios.

Dessa forma, o regime de Kim Jong-un responde aos recentes comentários de funcionários do alto escalão do Departamento de Estado dos EUA, que pediram a Pyongyang a seguir o exemplo do Irã e voltar à mesa de negociações para interromper o programa nuclear do país.

O diálogo para a desnuclearização norte-coreana, que envolve as duas Coreias, EUA, China, Japão e Rússia, permanece estagnado desde 2009 e, até agora, todas as tentativas de reiniciá-lo foram em vão.

Os EUA exigem que a Coreia do Norte demonstre um compromisso sério de interrupção no programa nuclear como um passo necessário para retomar as negociações, enquanto o país se nega a aceitar condições prévias.

Os analistas dos EUA e da Coreia do Sul já mostraram pessimismo nos últimos dias sobre avanços nas conversas com a Coreia do Norte devido ao acordo com o Irã, já que o programa atômico é um dos principais pilares da política de Kim Jong-un. EFE