Coreia do Norte libera malaios por corpo de irmão de Kim Jong-Un

Kim Jong-Nam foi envenenado com VX, uma substância classificada como agente neurotóxico, em 13 de fevereiro no aeroporto da capital malaia

Nove malaios liberados por Pyongyang em um acordo que encerra uma crise diplomática entre ambos os países pelo assassinato de Kim Jong-Nam chegaram em casa nesta sexta-feira (hora local), indicaram um responsável do Ministério das Relações Exteriores e um repórter da AFP.

O Bombardier BD-700 Global Express com três membros da embaixada e seis de seus familiares pousou no aeroporto internacional de Kuala Lumpur antes do amanhecer, sendo recebidos na pista de aterrissagem por parentes e pelo ministro das Relações Exteriores malaio, Anifah Aman.

Os nove cidadãos malaios puderam retornar a seu país em um intercâmbio no qual a Malásia devolverá para a Coreia do Norte o corpo de Kim Jong-Nam, meio-irmão do líder Kim Jong-Un, assassinado no aeroporto de Kuala Lumpur em fevereiro.

Kim Jong-Nam foi envenenado com VX, uma substância classificada como agente neurotóxico, em 13 de fevereiro no aeroporto da capital malaia, em uma operação que recordou os assassinatos durante a Guerra Fria.

O incidente provocou uma grave crise diplomática entre os países da Península Coreana.

Seul culpou Pyongyang pela morte, mas a Coreia do Norte negou estas afirmações e jamais confirmou a identidade da vítima, que tinha um passaporte com o nome Kim Chol quando foi atacado.

“Depois de concluída a necropsia do falecido e do recebimento de uma carta de sua família pedindo que seus restos fossem devolvidos à Coreia do Norte, o instrutor aprovou a liberação do corpo”, afirmou o primeiro-ministro malaio, Najib Razak, que se referiu a Kim Jong-Nam como “o falecido”, sem dar seu nome.

Meios de comunicação japoneses, chineses e malaios indicaram que o corpo de Kim foi colocado em um avião com destino à Coreia do Norte nesta quinta-feira ao mesmo tempo que os malaios embarcavam em Pyongyang.