Coreia do Norte lança novo míssil nesta segunda-feira

O lançamento eleva para seis o número de mísseis disparados pelo governo norte-coreano desde sábado

Seul – O regime norte-coreano lançou nesta segunda-feira um novo míssil de curto alcance em direção às águas do Mar do Leste (Mar do Japão) de sua costa oriental, o segundo projétil detectado hoje e o sexto desde sábado, informou o Ministério da Defesa sul-coreano.

Após o primeiro lançamento de hoje, que aconteceu entre as 11h e o meio-dia local (entre as 23h e a meia-noite de ontem em Brasília), a Coreia do Norte disparou um novo projétil entre as 16h e 17h locais (entre as 4h e as 5h de Brasília), informaram as autoridades sul-coreanas.

“Parece que o lançamento de projéteis de curto alcance não acabou”, disse hoje um porta-voz da Defesa da Coreia do Sul após revelar a última ação militar do regime de Pyongyang.

Trata-se do sexto míssil desse tipo que a Coreia do Norte dispara da mesma região nos três últimos dias, desde que lançou três projéteis sábado e outro ontem.

“Estamos tentando deduzir que tipo de projéteis é e (quais são) as intenções da Coreia do Norte. Parece que o Norte está tentando trazer a tensão de volta à Península de Coreia”, disse o porta-voz em declaração divulgada pela agência “Yonhap”.

As manobras foram consideradas os primeiros gestos beligerantes por parte de Pyongyang após um período de várias semanas em que o regime baixou notavelmente o tom de sua última campanha de ameaças bélicas contra a Coreia do Sul, o Japão e os Estados Unidos.


O último projétil foi disparado de uma plataforma móvel de lançamento no litoral leste do país e voou cerca de 120 quilômetros em direção norte antes de cair ao mar, revelaram fontes do Ministério da Defesa sul-coreano.

Após anunciar o primeiro lançamento de hoje, Seul informou que o projétil parecia ser um míssil KN-02 de curto alcance desenvolvido a partir de tecnologia da era soviética e com alcance em torno de 150 quilômetros.

Os testes realizados durante estes três dias não deveriam descumprir, em princípio, qualquer disposição internacional por se tratar de mísseis de curto alcance.

Várias resoluções da ONU, aprovadas depois que Pyongyang realizou testes nucleares subterrâneos e de mísseis balísticos, proíbem o regime de lançar projéteis com maior alcance e carga útil, por considerar que estão dentro de um programa para o desenvolvimento de armas nucleares intercontinentais.

“Sejam lançamentos de prova ou uma demonstração de força, a Coreia do Norte não deveria realizar ações que aumentem a tensão”, disse Kim Jang-soo, diretor do Escritório de Segurança Nacional, subordinado à presidência sul-coreana.