Contra todos, Trump pode abandonar hoje acordo nuclear com Irã

ÀS SETE - O presidente dos EUA afirmou ontem que deve anunciar a decisão nesta tarde, quatro dias antes do prazo final estabelecido pelo Congresso

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pode anunciar ainda hoje a saída do país do acordo nuclear com o Irã, e colocar ainda mais lenha na fogueira do Oriente Médio.

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

Leia também estas outras notícias da seção Às Sete e comece o dia bem informado:

Em seu Twitter, o presidente americano afirmou ontem que iria anunciar a decisão às duas da tarde (15 horas, no horário de Brasília), quatro dias antes do prazo final que tinha para informar ao Congresso americano o grau de cumprimento do pacto nuclear.

Firmado em 2015 pelo chamado grupo P5 + 1 – cinco membros do Conselho de Segurança da ONU mais a Alemanha –, o pacto previa o fim das atividades nucleares no Irã, em troca do fim de sanções econômicas e políticas impostas pelas potências internacionais.

No papel, o plano era uma forma eficaz de contribuir para a volta do crescimento do país, e evitar que as armas nucleares voltassem a circular pelo mundo.

Em janeiro, Trump afirmou que o acordo precisaria passar por uma mudança, para “consertar os defeitos” da proposta original. Entre as exigências estavam o bloqueio das atividades nucleares no Irã até além de 2025, o cancelamento do programa de mísseis balísticos, além de uma solução política para conter ações do Irã na região, em países como Iêmen, Síria, Iraque e Líbano.

O posicionamento do presidente americano tem causado comoção e temor entre os países signatários do acordo. O presidente francês, Emmanuel Macron, e a chanceler alemã, Angela Merkel, foram até os Estados Unidos, no mês passado, para pedir que Trump reconsiderasse a possibilidade de sair do tratado. Ontem, o chanceler britânico, Boris Johnson, reconheceu problemas no acordo, mas pediu que Trump não o abandone.

Muitos já não estão mais contando com a participação americana no acordo. Ontem, os governos do Irã, da Alemanha e da França afirmaram que pretendem permanecer no acordo nuclear, mesmo com a eventual saída dos Estados Unidos.

O presidente iraniano, Hassan Rohani, afirmou que seu país é o principal interessado em permanecer no acordo, e que por isso a saída do governo americano não mudará “seu caminho”.

O ministro alemão de Relações Exteriores, Heiko Maas, disse estar claro que o acordo tornou o mundo um local mais seguro, e que há um risco de escalada se o pacto for cancelado.

Uma possibilidade é que Trump fique só na bravata, como aconteceu com a Coreia do Norte. A decisão sai às 15h.