Consumo privado não impulsiona crescimento japonês

Sem mercado interno forte, o Japão fica muito dependente das exportações e dos investimentos de capital para tentar consolidar a recuperação de sua economia. O PIB do Japão cresceu 0,1% no terceiro trimestre

O consumo das famílias japonesas no terceiro trimestre foi muito mais baixo do que o esperado, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira (8/12). Para o jornal britânico Financial Times, o resultado traz maiores preocupações de que o Japão permaneça muito dependente das exportações e dos investimentos de capital para reanimar a já vacilante recuperação econômica.

O consumo privado entre julho e setembro avançou apenas 0,2% (taxa anualizada). A estimativa dos mercados era de um crescimento de 0,9% e vinha sendo alardeada como o consolo de um trimestre com fraco desempenho. O Produto Interno Bruto (PIB) japonês cresceu apenas 0,1% no terceiro trimestre, depois de uma pequena queda no segundo. Já os gastos em capital, que permanecem fortes nos setores exportadores, cresceu à taxa anualizada de 4,3% no terceiro trimestre.

O Financial Times ainda menciona uma pesquisa do Banco do Japão sobre o mercado de trabalho. De acordo com o estudo, o crescimento econômico não se traduziu em melhores salários graças à maior flexibilidade trabalhista – o número de empregados em meio período cresceu 30% nos últimos cinco anos. Além disso, o volume de financiamentos bancários encolheu 2,9% em novembro, sobre mesmo mês do ano passado. É o 47º mês de declínio consecutivo.