Conselho Europeu se reunirá sem Reino Unido para preparar Brexit

Segundo o presidente da CE, Donald Tusk, a sessão extraordinária foi marcada para o dia 29 de abril

Bruxelas – O Conselho Europeu realizará uma sessão extraordinária sem o Reino Unido no dia 29 de abril para adotar as diretrizes da negociação da saída desse país da União Europeia (UE), informou nesta terça-feira o presidente dessa instituição, Donald Tusk.

“Convocarei um Conselho Europeu no sábado 29 de abril para adotar as diretrizes das conversas do ‘Brexit‘”, indicou hoje Tusk em uma declaração à imprensa ao lado do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, e do presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker.

Assim, os 27 líderes da UE se reunirão para aprovar as bases da negociação do “Brexit” um mês depois da ativação oficial por parte de Londres do artigo 50 do Tratado de Lisboa, que a primeira-ministra britânica Theresa May indicou ontem que acontecerá no próximo dia 29.

O político polonês destacou que, “pessoalmente, desejaria que o Reino Unido não tivesse escolhido deixar a UE. Mas a maioria dos eleitores britânicos decidiram isto de outro modo”.

“Assim, é necessário fazer o máximo para que o processo de divórcio seja o menos doloroso possível para a UE”, opinou Tusk.

Para o presidente do Conselho, “a principal prioridade para as negociações deve ser criar toda a certeza e clareza possível para todos os cidadãos, empresas e Estados-membros que se vejam afetados negativamente pelo ‘Brexit’, assim como para nossos importantes sócios e amigos no mundo todo, como o Japão”.

A Comissão Europeia garantiu ontem que “tudo está preparado” para a ativação do artigo 50 sobre a saída de um Estado-membro da União, um processo que durará até dois anos, mas que pode ser ampliado por unanimidade dos países.

Após a adoção das diretrizes da negociação por parte dos líderes, a Comissão deverá emitir uma recomendação para abrir as negociações que o Conselho terá que adotar.

Depois, será concedido o mandato ao ex-comissário e ex-ministro francês Michel Barnier como chefe negociador para a saída do Reino Unido da UE.