Saiba quais são as 28 monarquias que ainda existem no mundo

Conheça as 28 famílias reais ainda existem no mundo, ainda que o mesmo seja hoje dominado por sistemas presidenciais e parlamentaristas,

São Paulo –  Apesar da democracia dominar o cenário político contemporâneo, com presidentes, primeiros-ministros e parlamentos, ainda há mais de 40 países com monarquias – o Império Britânico é responsável por muitos países nessa contagem, diga-se.

Veja também

Hoje, são 28 famílias reais. Algumas têm poderes absolutistas, mandando no país de fato. Outras, têm poderes limitados. Por fim, existem aquelas que são “meramente figurativas”. Conheça a seguir as 28 monarquias que ainda existem no mundo, cujos respectivos emires, reis, príncipes e imperadores resistem aos séculos.

  • Arábia Saudita

O monarca da Arábia Saudita é o rei e primeiro-ministro Abdullah bin Abdul Aziz. No país, a monarquia tem o poder político de fato. Mas ele é o último que governará por hereditariedade. Por um decreto de 2006, depois de Abdullah os monarcas serão escolhidos por um comitê formado por príncipes sauditas. A família real saudita tem cerca de 30 mil membros.

  • Kuwait

O monarca do Kuwait é o emir xeque Al-Sabah al Ahmed Al-Sabah desde 2006. Ele controla uma poderosa companhia de petróleo no país. Sua família está no poder desde os anos 1700.

  • Catar

O emir Tamim bin Hamad al-Thani chegou ao pode no Catar após a morte do pai, em 2013. Sua família domina a política local desde 1825, além de companhias de petróleo.

  • Emirados Árabes Unidos

Pela organização dos Emirados Árabes Unidos, cada um dos sete distritos possui um monarca, com título de emir. Quem manda, geralmente, é o emir de Abu Dhabi, que também ocupa o cargo de presidente. Atualmente, essa pessoa é  Khalifa bin Zayed al-Nahyan, no poder desde 2004.

  • Suazilândia

O rei de Suazilândia é, atualmente, Mswati III, desde que assumiu a coroa em 1986, depois do seu pai. Ele tinha apenas 18 anos à época. Com poderes de fato, ele tem o título de “Ngwenyama”, que significa “leão”.

  • Brunei

O sultão e primeiro-ministro de Brunei é Hassanal Bolkiah, desde 1967. Com grandes poderes, ele pode cuidar até mesmo do conselho legislativo e da Corte Suprema, que segue a sharia. Bilionário, ele tem uma residência privada que é considerada a maior do mundo.

  • Omã

O monarca de Omã é o sultão Qaboos bin Said, desde 1970. Ele comando as finanças, o governo e os militares do país. Sua família está no poder desde os anos 1700.

  • Bahrein

O atual rei do Bahrein, Hamad bin Isa al-Khalifa, está no poder desde 1999. Em 2002, ele trocou o título de emir pelo de rei. Ele tem grandes poderes, mas enfrenta desde 2011 protestos pró-democracia.

  • Jordânia

O rei da Jordânia é Abdullah II, que reina desde 1999. Tecnicamente, ele é chefe de governo. Outra pessoa tem o cargo de primeiro-ministro. Ele tem poderes suficientes para vetar leis e dissolver o parlamento.

  • Marrocos

O rei do Marrocos é Mohammed VI. Em 2011, após a Primavera Árabe, ele diminuiu os seus poderes. Contudo, ainda tem um poder significativo: pode indicar o primeiro-ministro e outros membros do governo.

  • Vaticano

Sim, o Papa Franciso é considerado um monarca. O Vaticano é uma monarquia absolutista eletiva da teocracia católica romana. Ele é “chefe de governo” global da Igreja Católica.

  • Mônaco

Aqui já começa a lista das monarquias que têm certo poder, mas já não mandam e desmandam com total poder em seus países. O monarca de Mônaco é o Príncipe Albert II, no poder desde 2005. O legislativo de Mônaco é constituído por eleição. Albert II até pode indicar o chefe de estado, mas apenas entre uma lista de três nomes já previamente votados e selecionados.

  • Tailândia

O atual rei da Tailândia, Bhumibol Adulyadej, está no poder desde 1952. Com pouco poder, ainda é importante no país. Pode perdoar crimes e vetar decisões do legislativo. Recentemente, aprovou a nova junta militar no país, após um golpe de estado.

  • Império Britânico

A Rainha Elizabeth II é considerada a chefe de estado em 16 monarquias constitucionais do Império Britânico, como Reino Unido, Nova Zelândia, Granada e Belize.

  • Liechtenstein

Com pouco poder, recentemente Liechtenstein votou para, incrivelmente, aumentar os mandos do Príncipe Hans-Adam II. Ele pode dissolver o parlamento e vetar leis, por exemplo. Ele ainda é o chefe de estado.

  • Tonga

O rei de Tonga, desde 2006, é George Tupou V. O trono foi herdado do seu pai. Assim que assumiu, prometeu que passaria muitos poderes para o primeiro-ministro, mas tem sido um monarca no estilo absolutista, provocando uma série de protestos pró-democracia.

  • Butão

Jigme Khesar Namgyel Wangchuk é o líder da monarquia de Butão. Seu título é o de Druk Gyalpo, o que significa “Rei Dragão”. Ele está no trono desde 2008. A família Wangchuk está no poder por cerca de um século.

  • Noruega

Aqui começam as famílias reais meramente figurativas, apenas cerimonialistas. O rei da Noruega é Harald V. Sua agenda inclui reuniões com o gabinete do primeiro-ministro e com o parlamento. A monarquia é hereditária.

  • Suécia

O atual monarca é o Rei Carl XVI Gustaf, com papel apenas em cerimônias. Como a Suécia permite a sucessão feminina, a Princesa Victoria Ingrid Alice Desiree poderá assumir o trono como rainha no futuro.

  • Holanda

O Rei Willem-Alexander tem apenas alguns meses de trono, depois que sua mãe, Beatrix, abdicou do trono após 33 anos. A Holanda tem um parlamento bicameral. O rei, assim, não governa diretamente, mas tem sua importância como presidente do Conselho de Estado.

  • Espanha

O Rei Juan Carlos I acabou de abdicar na Espanha, após 39 anos no poder. Quem assume agora é o Príncipe das Astúrias, Felipe de Bórbon. A origem do poder de Juan Carlos vem do franquismo. Sucessor do ditador Franco, Juan assumiu o poder após sua morte, mas optou por criar uma constituição democrática em 1978.

  • Dinamarca

O Reino da Dinamarca tem como rainha Margrethe II, que está no poder desde 1972. Ela tem poucos poderes diante do parlamento. Seu reinado inclui a Groenlândia.

  • Luxemburgo

O monarca de Luxemburgo não se define como rei, sim como grão-duque. Este é Henri Guillaume, ou simplesmente Grand Duque Henri. É um chefe de estado com poucos poderes de fato.

  • Bélgica

O rei da Bélgica é Philippe, com pouco tempo de monarca – herdou o treino do seu pai, que abdicou em 2013. É uma figura simbólica, apenas, mas tem desempenhado certo papel em manter o país unido, aliando os francófonos e os flamengos.

  • Lesoto

Lesoto tem como monarca o Rei Letsie III, no poder desde 1996. Informalmente, ele era o rei desde 1990, quando seu pai foi para o exílio. A Constituição do país não lhe dá poderes políticos.

  • Camboja

O Rei do Camboja é Norodom Sihamoni. Ele não possui poderes políticos, mas desempenha ofícios simbólicos. É o embaixador do Camboja na Unesco, por exemplo.

  • Malásia

Cada estado da Malásia tem um sultão. A cada cinco anos, uma eleição escolhe um desses sultões para se tornar o rei do país. Desde 2011, este é Tuanku Abdul Halim Muadzam Shah. Ele não tem influência política.

  • Japão

No Japão, a dinastia Yamato tem origem para além dos anos 660. É a mais velha dinastia hereditária em todo o mundo.