Congresso dos EUA se reúne, mas não age para encerrar paralisação

A paralisação encaminha-se para uma continuidade na próxima semana e pode se arrastar janeiro adentro

Washington – Ambas as Casas do Congresso dos Estados Unidos se reuniram por apenas alguns minutos nesta quinta-feira, e não deram nenhum passo para encerrar uma paralisação parcial do governo dos EUA antes de entrar em recesso até a próxima semana.

Demonstrando pouca urgência em debater a paralisação, que entra em seu sexto dia, o Senado e a Câmara de Deputados dos EUA não tomaram nenhuma medida para restabelecer o financiamento de cerca de 20 por cento da máquina estatal afetada.

A paralisação encaminha-se para uma continuidade na próxima semana e pode se arrastar janeiro adentro.

A paralisação parcial do governo dos EUA foi provocada pela exigência de Trump, amplamente rejeitada pelos democratas e por alguns republicanos, de destinar 5 bilhões de dólares em recursos públicos para a construção de um muro na fronteira com o México.

Trump quer que o dinheiro seja incluindo no orçamento que o Congresso deve aprovar para restabelecer o financiamento de diversas agências governamentais, incluindo os departamentos de Segurança Interna, Justiça, Agricultura e Comércio.

No sábado, quando os recursos que já possuem se esgotaram, essas agências interromperam operações “não essenciais”. É a terceira paralisação neste ano, embora as duas anteriores tenham sido breves.

“O presidente deixou claro que qualquer projeto para financiar o governo deve financiar adequadamente a segurança nas fronteiras”, disse a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, em um comunicado no qual o muro de Trump não foi mencionado.

Até o momento, a paralisação tem tido um impacto limitado.