Confronto na Caxemira deixa 6 rebeldes e um soldado mortos

Operação para impedir a tentativa de infiltração através da Linha de Controle, fronteira que separa a Índia e Paquistão, segue em andamento

Nova Délhi – Seis insurgentes e um soldado morreram na Caxemira indiana segundo um relatório divulgado nesta quarta-feira pelas autoridades após uma tentativa de infiltração do Paquistão, que começou na terça-feira, durante a segunda fase das eleições regionais, e ainda continua.

“Seis insurgentes foram abatidos”, disse uma fonte do Exército à agência local “Ians”, que acrescentou que um de seus soldados também morreu e quatro ficaram feridos no confronto na área de Nowgam, no distrito de Kupwara, no norte da região.

A fonte indicou que ainda está em andamento a operação para impedir a tentativa de infiltração através da Linha de Controle (LOC), fronteira que separa a Índia e Paquistão.

O confronto teve início na terça-feira e o Exército indiano confirmou a morte de três insurgentes. O conflito ocorreu durante a segunda fase da eleições regionais da Caxemira, que registraram um índice de participação de 71%.

Nesta região, reivindicada pelo Paquistão, foram convocados às urnas 7,2 milhões de eleitores em cinco etapas, que ainda ocorrerão nos dias 9, 14 e 20 de dezembro. A apuração será feita no dia 23 deste mês.

As eleições são realizadas com grandes medidas de segurança, já que os grupos separatistas convocaram um tradicional boicote do pleito.

Esta região do Himalaia, uma das zonas mais militarizadas do mundo com cerca de 500 mil de soldados em um Estado com 10 milhões de habitantes, é palco da atividade dos insurgentes independentistas desde a década de 1990.

A Caxemira indiana, de maioria muçulmana, é o principal ponto de conflitos entre Índia e Paquistão desde a criação de ambas as nações em 1947. Os dois países travaram duas guerras e vários conflitos menores pela região.