Conflito no Sudão do Sul já causou deslocamento de um terço da população

Cerca de 4,3 milhões de pessoas deixaram o país em cinco anos de guerra entre o governo local e um grupo armado de oposição, segundo a ONU

Juba – O secretário para Assuntos Humanitários da ONU, Mark Lowcock, disse nesta quarta-feira que o conflito no Sudão do Sul causou o deslocamento de cerca de 4,3 milhões de pessoas, quase um terço da população do país, enquanto 7 milhões necessitam de assistência humanitária urgente.

Lowcock chamou as partes beligerantes para que cessem imediatamente as hostilidades, em entrevista à imprensa na capital, Juba, feitas ao final de uma visita de dois dias ao Sudão do Sul.

O representante da ONU destacou que “o conflito no Sudão do Sul entrou em seu quinto ano, a população segue sofrendo de forma inimaginável e até o momento o processo de paz não deu frutos”.

Segundo Lowcock, 7 milhões de pessoas necessitam de ajuda humanitária neste ano e “a situação segue piorando”.

“A economia colapsou e os combatentes aplicam uma política de terra queimada, (fazendo) assassinatos e estupros que infringem a lei internacional”, acrescentou.

Durante a estadia no país africano, Lowcock se reuniu com representantes do Governo, da oposição armada e das organizações humanitárias, e visitou acampamentos de deslocados na capital e na cidade de Yai, no sul do país.

Lowcock indicou que nesses acampamentos os sul-sudaneses afetados pela guerra pedem uma diminuição da violência como máxima prioridade para pôr fim ao sofrimento.

Além disso, o enviado destacou que os voluntários necessitam trabalhar em “um ambiente seguro sem obstáculos” e acusou as partes em conflito de ameaçar a vida destes trabalhadores e de saqueá-los, além de impor “taxas” para permitir a passagem dos comboios humanitários.

Segundo dados da ONU, cerca de cem trabalhadores humanitários morreram no Sudão do Sul desde que explodiu o conflito entre o Governo e a oposição armada em dezembro de 2013, que continua até o momento apesar do acordo de paz selado em agosto de 2015.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s