Conflito na Ucrânia já matou quase 150 soldados em 3 meses

Operação antiterrorista lançada há três meses contra separatistas pró-russos já matou 147 soldados ucranianos, disse ministério

Kiev – A operação antiterrorista lançada há três meses contra os separatistas pró-russos no sudeste da Ucrânia já matou 147 soldados ucranianos e outros 267 feridos, informou nesta quarta-feira o Ministério da Defesa.

Os combates entre rebeldes e forças do governo continuaram apesar do anúncio da intenção de realizar um cessar-fogo unilateral, informada pelo presidente ucraniano, Petro Poroshenko, como parte de seu plano de paz para as regiões de Donetsk e Lugansk.

O porta-voz oficial das forças ucranianas enviadas a zona da operação antiterrorista, Vladislav Selezniov, informou de mais de 30 insurgentes mortos ou feridos nas últimas horas na cidade de Schastie, nos arredores de Lugansk, de meio milhão de habitantes.

Já o líder dos pró-russos na região de Lugansk, Valeri Bolotov, afirmou que na véspera os milicianos conseguiram arrebatar seis veículos blindados das tropas ucranianas e tomaram cinco soldados como reféns.

O chamado “governador popular” da autoproclamada república popular de Donetsk, Pavel Gubarev, disse à imprensa russa que dez civis morreram nesta madrugada atingidas pela artilharia ucraniana na cidade de Kramatorsk, vizinha de Slaviansk.

“O fogo contra as zonas residenciais durou toda a noite. A artilharia disparou primeiro contra o centro velho da cidade e a estação ferroviária. Um obus atingiu um edifício residencial e dez civis morreram”, disse Gubarev.