Conflito já expulsou quase 800 mil pessoas para Rússia

Quase 800 mil ucranianos fugiram para a Rússia desde a eclosão do conflito armado no leste da Ucrânia

Moscou – Quase 800 mil ucranianos fugiram para a Rússia desde a eclosão do conflito armado no leste da Ucrânia, dos quais cerca de 100 mil pediram refúgio, informou nesta quinta-feira a subdiretora do Serviço Federal de Migração (FMS) da Rússia, Yekaterina Yegorova.

Desde 1º de abril, mais de 780 mil cidadãos ucranianos entraram na Rússia, “a maioria dos quais se encontra nas regiões fronteiriças com a Ucrânia”, disse Yegorova em entrevista à agência russa “Interfax”.

Segundo a funcionária, “99.364 pessoas pediram o status de refugiado ou refúgio temporário”.

Yegorova afirmou que as regiões fronteiriças russas “não estão em condições de receber todas as pessoas que chegam da Ucrânia”.

“Distribuímos esse contingente em outros territórios da Rússia”, explicou a funcionária.

Previamente, o diretor do FMS, Konstantin Romadanovski, disse que meio milhão de ucranianos poderiam solicitar formalmente refúgio na Rússia por causa do conflito nas regiões orientais da Ucrânia.

O governo russo denunciou uma catástrofe humanitária no leste da Ucrânia, onde as tropas governamentais combatem as milícias separatistas.

Os choques armados em Lugansk e seus arredores e nas imediações de Donetsk, cidades que juntas somavam mais de 1,4 milhão de habitantes antes da guerra, provocou o êxodo de sua população.

Lugansk foi quase destruída pelos combates e dois terços de sua população, mais de 430 mil habitantes antes do início do conflito armado, abandonaram a cidade, segundo o comando das milícias separatistas pró-Rússia.

“Da cidade praticamente não resta nada: a metade dos edifícios foi destruída ou danificada, não há luz nem água”, disse à agência russa “Interfax” um porta-voz rebelde.

Segundo as autoridades ucranianas, desde terça-feira as ruas do centro de Lugansk são cenário de pesados combates.