Conciliação? Chefes das Coreias dão aperto de mãos histórico

Expectativa é a de que o presidente sul-coreano use o evento esportivo para negociações sobre os rumos do programa nuclear da Coreia do Norte

São Paulo – O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e o chefe de Estado da Coreia do Norte, Kim Yong-nam, reuniram-se nesta sexta-feira (9) dando um aperto de mãos, antes da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno que começa no Sul – relatou a agência de notícias sul-coreana Yonhap. Momentos depois, brindaram juntos.

Chefe de Estado da Coreia do Norte, Kim Yong-Nam, brinda com o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in Chefe de Estado da Coreia do Norte, Kim Yong-nam, brinda com o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in

Chefe de Estado da Coreia do Norte, Kim Yong-nam, brinda com o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in (Yonhap/Reuters)

Kim é o representante norte-coreano de mais alto escalão a ter visitado a Coreia do Sul e dirige oficialmente a delegação diplomática do seu país. No encontro entre eles, que aconteceu durante a recepção dos dirigentes pré-abertura do evento, ambos estavam visivelmente relaxados e sorriam.

Já Kim Yo-jong, irmã de Kim Jong-un, desembarcou na Coreia do Sul nesta sexta-feira, tornando-se a primeira da família a visitar a Coreia do Sul desde a década de 50. Durante a cerimônia de abertura, foi vista sorridente cumprimentando Moon e sua esposa enquanto aguardava a entrada das delegações das duas Coreias, que vão desfilar juntas pela primeira vez em 12 anos.

Kim Yo-Jong, irmã de Kim Jong-un, cumprimenta o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e sua esposa Kim Yo-jong, irmã de Kim Jong-un, cumprimenta o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e sua esposa

Kim Yo-jong, irmã de Kim Jong-un, cumprimenta o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e sua esposa (Kim Kyung-Hoon/Reuters)

Confidente de Jong-un, Yo-jong deve participar de uma série de encontros diplomáticos e trazendo mensagens de seu irmão, ao passo que Moon já sinalizou que pretende usar esse evento esportivo para negociações sobre o programa nuclear norte-coreano, uma das maiores preocupações da comunidade internacional atualmente. 

Apesar dos encontros amigáveis, a situação segue delicada. Às vésperas da abertura dos Jogos, que acontecem na cidade sul-coreana de PyeongChang, o regime de Kim Jong-un realizou um desfile militar para celebrar o aniversário de 70 anos do seu exército.

O ato foi visto pela comunidade internacional como uma demonstração de força e causou desconforto com a Coreia do Sul, que temia que tal celebração pudesse ofuscar os esforços diplomáticos para a participação do Norte no evento.

Infográfico sobre o programa nuclear da Coreia do Norte

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Armin Warkentin

    Conciliação ? que nada! O problema é que, para variar e como sempre, a população comunista está literalmente morrendo de fome, e o Gordinho, como sempre, quer ser simpático para como sempre, receber de presente como ajuda humanitária, mais e mais milhares de toneladas de alimentos, para evitar uma debandada e derrocada geral deste regime ridículo, cujo PIB não chega a 2% do PIB da Coreia de verdade, a Coreia do Sul.