Companhias americanas cancelam voos para Tel Aviv

Delta, US Airways e United cancelaram voos para Tel Aviv, e pouco depois a administração federal de aviação proibiu todos os voos por pelo menos 24h

Washington – As companhias aéreas americanas Delta, US Airways e United cancelaram nesta terça-feira os voos para Tel Aviv, em Israel, depois de um foguete atingir as proximidades do aeroporto Ben Gurion e pouco depois a administração federal de aviação (FAA) proibiu todos os voos por pelo menos 24h.

No caso da Delta, a companhia notificou o cancelamento dos voos ao aeroporto de Tel Aviv “até segunda ordem” e explicou que foi obrigada a desviar uma aeronave até Paris após o atentado, enquanto a US Airways emitiu um alerta de viagem até 31 de julho, que pode ser prorrogado.

A Delta, que normalmente voa entre o aeroporto John Fitzgerald Kennedy (JFK) de Nova York e o aeroporto internacional Ben Gurion em Tel Aviv, detalhou que o voo Delta 468, um Boeing 747 com 273 passageiros e 17 tripulantes, foi desviado para a capital francesa após as informações que apontavam que um foguete impactou nas cercanias do aeroporto israelense.

Já a agência reguladora informou que “o aviso foi emitido em resposta a um ataque com foguete que aterrissou aproximadamente a uma milha do aeroporto internacional Ben Gurion na manhã de 22 de julho de 2014”, apontou a agência.

A US Airways cancelou o voo 796, que partiu de Los Angeles e foi abortado em sua escala na Filadélfia antes de sair para a Tel Aviv.

Segundo a página de rastreamento de voos americanos Flightaware.com, a United Airlines cancelou os voos 84 e 90 que partiriam do aeroporto de Newark (Nova Jersey) com o mesmo destino.

A proibição total é de 24h, mas pode ser estendida, explicou a agência: “A FAA continuará monitorando e avaliando a situação. Novas instruções serão dadas as companhias aéreas dos Estados Unidos assim que as condições permitirem”, detalhou o aviso.

Ontem o Departamento de Estado emitiu um novo alerta de viagem para Israel, Gaza e Cisjordânia pelos confrontos vividos desde 8 de julho na região entre o exército israelense e o movimento islamita palestino Hamas.

O aviso advertia para o risco dos foguetes de longo alcance lançados de Gaza para vários pontos do território israelense, incluída Tel Aviv, embora as autoridades americanas tenham reconhecido a efetividade do escudo antimísseis “Cúpula de Ferro”, que está interceptando a maioria dos ataques.

Além disso, o governo dos EUA disse no alerta que não estava evacuando a cidadãos americanos de Israel já que nesse momento ainda operavam voos comerciais, o que agora pode variar de acordo com as circunstâncias.