Começa remoção de acampamentos de manifestantes em Hong Kong

A operação que tentará pôr fim, ao longo do dia de hoje, a mais de dois meses de ocupação

Hong Kong – As autoridades começaram nesta quinta-feira a retirada dos manifestantes pró-democracia das regiões ocupadas em Hong Kong, uma operação que tentará pôr fim, ao longo do dia de hoje, a mais de dois meses de ocupação.

Logo após as 10h30 (0h30 de Brasília), funcionários de limpeza, oficiais de justiça e da polícia começaram a remover as barricadas nas imediações dos edifícios governamentais, no distrito de Admiralty, em uma operação que deve durar o dia todo.

Centenas de ativistas, entre eles parlamentares de Hong Kong e alguns dos líderes dos protestos, permanecem nas áreas ocupadas, observando a forma como é feito o desmantelamento.

A polícia enviou dezenas de viaturas para o local, incluindo veículos blindados com canhões de água, enquanto centenas de agentes da tropa de choque estão em posição e prontos para agir.

Muitos dos concentrados pretendem permanecer na área, dispostos a resistir até que sejam retirados à força pelas autoridades, quando completam hoje 75 dias de protestos populares para exigir mais liberdades democráticas em Hong Kong.

Desde a noite de ontem, centenas de estudantes recolheram, durante várias horas, seus móveis e utensílios na área ocupada do distrito de Admiralty, antes do início das ações de despejo.

Os trabalhadores estão, neste momento, retirando barricadas em uma das principais vias da área de protestos, enquanto a maior parte dos manifestantes esperam no centro da ocupação munidos de capacetes e escudos.

‘Estou triste e preocupado, tenho medo que hoje possa haver um banho de sangue’, disse à Agência Efe Fernando Cheung, vice-presidente do Partido Trabalhista de Hong Kong.