Começa julgamento de jornalista que revelou contas na Suíça

O repórter grego é acusado de violar dados pessoais e privacidade por ter publicado no sábado uma lista com 2.059 nomes de pessoas

Atenas – Um jornalista grego compareceu nesta quinta-feira a um tribunal por ter publicado uma lista de supostos titulares de contas bancárias na Suíça.

Costas Vaxevanis, 46 anos, ex-repórter de televisão que trabalha na revista Hot Doc, insiste que se limitou a cumprir o dever de jornalista.

Ele é acusado de violar dados pessoais por ter publicado no sábado uma lista com 2.059 nomes de pessoas, procedente do banco HSBC na Suíça.

“Vamos aguentar isto realmente?”, questionou Vaxevanis no Twitter antes do julgamento.

Os advogados gregos convocaram uma greve nesta quinta-feira contra as medidas de austeridade, mas os advogados de Vaxevanis poderão representá-lo, segundo uma fonte judicial.

Vaxevanis, que foi detido no domingo e depois liberado para preparar sua defesa, foi acusado de violação de privacidade. Se for considerado culpado, pode ser condenado a até três anos de prisão.

“As relações com os bancos acontecem em público, não em segredo. A existência de uma conta bancária, portanto, não é um dado pessoal”, escreveu em um artigo publicado no jornal The Guardian no início da semana.

Segundo o jornalista, a lista procede de documentos revelados por um funcionário do banco HSBC na Suíça.

A relação foi transmitida ao governo grego em 2010 pela atual diretora gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, então ministra das Finanças da França.

O jornalista diz que recebeu a lista em uma carta anônima de alguém que alegava ter obtido a mesma das mãos de um político.

Chamada de “lista Lagarde” pela imprensa grega, a relação provocou polêmica na Grécia, sobre a ausência de reação do Estado para reforçar a luta contra a fraude fiscal. Há algumas semanas, o novo governo de coalizão chegou a afirmar que “perdeu” este combate.