Começa julgamento contra Messi por fraude fiscal

O jogador deve prestar depoimento na quinta-feira, quando provavelmente atribuirá a gestão de sua fortuna a seu pai

O julgamento contra o craque argentino Lionel Messi, camisa 10 do Barcelona e da seleção de seu país, por fraude fiscal, começou nesta terça-feira, na Espanha.

O jogador deve prestar depoimento na quinta-feira, quando provavelmente atribuirá a gestão de sua fortuna a seu pai.

O processo, que nesta terça-feira é dedicado a questões de procedimento, começou sem a presença do atleta em um tribunal de Barcelona, com grande presença de jornalistas.

O advogado de Messi, Javier Sánchez-Vera, afirmou que o jogador tinha a intenção de comparecer ao tribunal no primeiro dia, mas não teve condições por causa da lesão – uma pancada nas costas – sofrida na semana passada no amistoso em que a Argentina venceu Honduras por 1-0.

Messi deve comparecer apenas na quinta-feira para prestar depoimento ao lado do pai, Jorge Horacio.

O jogador e seu pai são acusados de organizar uma rede de empresas de fachada em Belize e no Uruguai, considerados paraísos fiscais na época, para ocultar o dinheiro recebido pelos direitos de imagem do jogador entre 2007 e 2009.

A suposta fraude ao fisco espanhol chegou a 4,16 milhões de euros.

Caso sejam declarados culpados, a Advocacia do Estado deseja para Messi e seu pai uma multa equivalente ao valor fraudado e 22 meses e meio de prisão.

Como não possuem antecedentes judiciais, a princípio eles não teriam que cumprir esta eventual pena.

O escândalo fora dos campos persegue Messi desde junho de 2013.

Muitos acreditam que o astro de 28 anos deve repetir o depoimento apresentado há três anos.

“Assinei as coisas, mas nunca olho os contratos. Não sei o que assino”, teria declarado o jogador em setembro de 2013 à juíza de instrução do caso, segundo o jornal El Periódico da Catalunha.

De acordo com o jornal de Barcelona, a magistrada exibiu vários contratos de patrocínio assinados por Messi que ele não conseguiu recordar.

“Nunca pensei no tema dinheiro. É algo que meu pai administra. E confio nele. Eu me dedico a jogar futebol”, respondeu Messi.

Como já fizeram em 2013, os Messi pretendem desvincular o craque do Barça e da seleção argentina da gestão de sua fortuna, atribuindo a responsabilidade a seu pai.

A promotoria aceitou esta versão e pediu o arquivamento do caso contra o jogador, mas a Advocacia do Estado, representante da Fazenda espanhola, decidiu manter a acusação.