Combates contra o EI matam 26 membros do Exército sírio

Segundo ONG, os enfrentamentos ainda continuam na zona, onde supostos aviões russos efetuaram vários bombardeios

Beirute – Pelo menos 26 membros do Exército sírio pertencentes a uma unidade de elite morreram em combates contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) na periferia da cidade monumental de Palmira, no leste da Síria e controlada pelos radicais, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Segundo esta organização, os enfrentamentos ainda continuam na zona, onde supostos aviões russos efetuaram vários bombardeios.

Outro alvo da aviação da Rússia, aliada do governo de Damasco, foram as imediações da cidade de Al Qariatain, dominada pelo EI e situada no leste da província central síria de Homs, da mesma forma que Palmira.

Por sua vez, a agência de notícias oficial síria “Sana”, que citou uma fonte militar, informou que a força aérea nacional matou um número indeterminado de integrantes do EI e destruiu vários de seus veículos equipados com munição e armas automáticas nos arredores de Palmira e Al Qariatain.

Os ataques dos aviões sírios tiveram como alvo, além disso, um quartel dos extremistas nessa área.

O EI tomou o controle de Palmira, cujas ruínas greco-romanas são Patrimônio Mundial da Unesco, em 20 de maio após uma ofensiva em que que tomou amplas partes do leste Homs, fronteiriça com o Iraque.

O EI está excluído do cessar-fogo, iniciado no território sírio o passado 27 de abril e ainda vigente, entre o Executivo e a Comissão Suprema para as Negociações (CSN), a principal aliança opositora.