Colômbia recebe US$ 31,5 mi para atender migrantes venezuelanos

Cerca de 1,2 milhão de venezuelanos migraram para o país; o custo para a Colômbia manter os vizinhos deve chegar a 0,4% do seu PIB

A Colômbia recebeu 31,5 milhões de dólares do Banco Mundial (BM) em apoio a seus esforços para atender os migrantes da Venezuela e dar respaldo às comunidades de acolhimento. O financiamento do Mecanismo Global de Financiamento Concessional (GCFF) integra um plano de desenvolvimento de 750 milhões de dólares que o BM está preparando para contribuir com a “sustenibilidade fiscal, a competitividade e a migração na Colômbia”, informou a entidade em comunicado.

Nos últimos anos, cerca de 3,7 milhões de pessoas abandonaram a Venezuela, dos quais 1,2 milhão vivem agora na Colômbia, segundo o BM, que estimou em 0,4% do PIB colombiano o custo anual de acolher os migrantes e refugiados do país.

“Esses recursos não reembolsáveis ajudarão a financiar o significativo esforço fiscal que a Colômbia está fazendo para acolher e ajudar os migrantes da Venezuela da melhor forma possível”, disse o ministro de Finanças colombiano, Alberto Carrasquilla, citado em comunicado.

A Venezuela, imersa em uma crise econômica colossal, com escassez de alimentos e medicamentos, colapso do sistema de água e eletricidade e uma forte queda de sua produção petroleira, terá recuo de 25% do PIB (acumulada de 61% desde 2013) neste ano, uma hiperinflação de 10.000.000% e um desemprego de 44,3%, segundo previsões do Fundo Monetário Internacional divulgadas nesta terça.

“A migração maciça e rápida da Venezuela representa hoje um desafio humanitário e de desenvolvimento sem precedentes para a região”, disse Axel van Trotsenburg, vice-presidente do BM para a América Latina e o Caribe.