Colômbia pede “reunião urgente” de conselho de OEA por crise na Bolívia

O ministério das Relações Exteriores solicitou que se assegure que "os cidadãos bolivianos possam se expressar livremente nas urnas

O governo da Colômbia pediu neste domingo uma “reunião urgente” do conselho permanente da Organização de Estados Americanos (OEA) pela renúncia do presidente boliviano, Evo Morales.

A Colômbia “solicita à Secretaria Geral a convocação de uma sessão do Conselho Permanente, de maneira urgente, a fim de buscar soluções à complexa situação institucional que se apresenta no Estado Plurinacional da Bolívia”, informou a chancelaria em comunicado.

O ministério das Relações Exteriores também solicitou que se assegure que “os cidadãos bolivianos possam se expressar livremente nas urnas e eleger um novo governo com plenas garantias para sua participação”.

“A Colômbia expressa sua plena disposição em trabalhar no marco da Organização dos Estados Americanos, em consonância com as instâncias e procedimentos estabelecidos dentro do sistema hemisférico”, acrescentou.

Morales renunciou à presidência neste domingo em uma mensagem transmitida por rede de televisão depois de perder apoio das Forças Armadas e da Polícia após três semanas protestos contra o resultado das eleições de outubro.