Cientistas associam terremotos à mudança climática

Estudo geológico revela que a intensidade do movimento de placas tectônicas pode ter sido potencializada pelo aumento de temperatura do planeta

Sydney – A mudança climática pode ser responsável por, a longo prazo, potencializar o movimento das placas tectônicas, segundo um estudo geológico divulgado nesta quarta-feira na Austrália.

Um grupo de cientistas australianos, alemães e franceses estudou esse fenômeno na Índia, onde chegaram à conclusão que as monções se intensificaram durante os últimos dez milhões de anos.

Os pesquisadores descobriram que nesse período as chuvas aceleraram o movimento das placas da litosfera na região em um centímetro por ano.

O geólogo australiano Giampiero Iaffaldano disse à rádio “ABC” que graças a este relatório “se reconhece pela primeira vez que a mudança climática pode, a longo prazo, atuar potencialmente como uma força e ter influência no movimento das placas tectônicas”.

Iaffaldano assinalou que certos eventos geológicos causados pelo movimento das placas – como a criação dos continentes, o fechamento das conchas oceânicas e a formação dos cinturões montanhosos – podem ter influência no clima durante milhões de anos e com efeito retroativo.

Os cientistas consideram que o estudo pode contribuir para estudar os efeitos do movimento das placas tectônicas e determinar as regiões mais propensas a ser atingidas por devastadores tremores como o ocorrido recentemente no Japão.

“Para isso, deve-se levar em conta a história da mudança climática nos últimos milhões de anos”, afirmou Iaffaldano.