Cidadãos de cidade atingida por tornado querem reconstrução

Enquanto acontecem os trabalhos de resgate, os moradores de Moore, em Oklahoma, começam a pensar na dura tarefa de reconstruir a comunidade

Moore – À medida que os trabalhos de resgate diminuem na localidade de Moore, em Oklahoma (centro-sul dos EUA), os moradores começam a pensar na dura tarefa de reconstruir a comunidade devastada na segunda-feira por um tornado que deixou pelo menos 24 mortos, incluindo nove crianças.

As autoridades informaram que a maioria dos corpos foram recuperados dos escombros do que era uma localidade suburbana de Oklahoma City, que viu duas escolas e áreas inteiras destruídas.

Após as grandes divergências dos números de vítimas, o chefe de polícia de Oklahoma City, Bill Citty, disse em uma entrevista coletiva que 20 pessoas faleceram em Moore e quatro em outras localidades.

“Todas as pessoas que foram reportadas como desaparecidas, inicialmente 48 na noite de segunda-feira, foram encontradas, com exceção, acredito, de alguns poucos em Moore”, disse Citty, que alertou para o possível aumento do número de mortos.

Mais de 100 pessoas foram resgatadas com vida dos escombros, disse Terri Watkins, do Departamento de Gestão de Emergências de Oklahoma. De acordo com as autoridades, pelo menos 237 pessoas ficaram feridas.

“É irreal. É tão visceral”, disse o contador Roger Graham, de 32 anos, enquanto remexia nas ruínas da casa de três quartos em que morava com a esposa Kalissa, professora, para tentar recuperar algo.


Curtis Carver, de 38 anos, veterano do Corpo de Marines que serviu por dois anos no Iraque, descreveu Moore, sua cidade natal, como uma “zona de guerra”, enquanto aguardava em um posto de controle policial a autorização para recuperar alguns objetos dos escombros de sua casa.

“Era minha casa, a casa dos meus filhos”, disse Carver.

Os dois filhos do ex-marine escaparam ilesos, mas Carver não recebeu permissão para avançar, já que sua casa está em uma área ainda considerada muito perigosa.

“Agora não está. Não resta nada. É uma pilha de madeiras…. e me deixam afastado”, disse.

O tornado atingiu o nível EF-5, o mais potente na escala de magnitude do fenômeno, com ventos de mais de 320 km/h, disse à AFP Kelly Pirtle, do Laboratório de Tempestades Severas, do serviço meteorológico nacional.

O tornado de dimensões históricas, de três quilômetros de largura, arrasou na tarde de segunda-feira a cidade de Moore, de 55.000 habitantes, levando tudo em sua passagem, carros, casas, postes de energia elétrica, além de ter provocado incêndios pontuais em um fenômeno que durou 45 minutos.

Na noite de segunda-feira, quase 20.000 pessoas continuavam sem energia elétrica.

O epicentro da tragédia foi a escola primária Plaza Towers, onde os aterrorizados professores e alunos seguiram para os corredores e banheiros.


Algumas crianças, no entanto, faleceram na tragédia.

“Eu só ouvia pessoas gritando e chorando”, disse Claire Gossett, de 11 anos, ao jornal New York Times.

“Parecia que a escola estava voando”.

O presidente Barack Obama, que declarou estado de desastre na região, lamentou a devastação provocada pelo tornado e prometeu estar ao lado da população afetada nos esforços de resgate e reconstrução.

“A população de Moore deve saber que seu país estará no local ao lado deles o tempo necessário para reconstruir suas casas e escolas”, disse o presidente.

“Há espaços vazios onde antes havia quartos e salas de estar, e salas de aula. Com o tempo vamos precisar preencher estes espaços com amor, risos e comunidade”, disse Obama.

Boa parte dos escombros consistem em pedaços de madeira de menos 30 cm de comprimento e outras partes de material de construção. Os objetos grandes são escassos e muito dispersos.


Ao caminhar pela área destruída é possível encontrar objetos pessoais: uma roda de bicicleta, uma luva de beisebol, uma bola de golfe, uma meia de Natal.

Os voluntários ajudavam os moradores a desenterrar documentos como passaportes e declarações de impostos, assim como objetos de Star Wars ou parte de uma coleção de moedas, disse Michael Albrecht, que estava em Moore para uma reunião empresarial no dia do tornado e decidiu ficar para ajudar na reconstrução.

O tornado de segunda-feira seguiu mais ou menos a mesma trajetória do tornado de maio de 1999, que deixou 44 mortos, centenas de feridos e destruiu milhares de casas.

Os tornados geralmente afetam as planícies de Oklahoma, mas o fenômeno de segunda-feira atingiu uma área urbana. Pela qualidade do terreno, poucas residências são construídas com porão ou abrigo para tempestades.

Oklahoma City fica no chamado “Corredor dos Tornados”, que vai de Dakota do Sul ao centro do Texas, uma região particularmente vulnerável aos fenômeno.