China se diz descontente com reclamações veladas na OMC

Comentário ocorre após os EUA, a UE e o Japão concordaram e aumentar a pressão sobre países que subsidiam empresas domésticas

Pequim – O Ministério de Comércio da China expressou estar descontente com reclamações sobre a forma de ação da Organização Mundial do Comércio (OMC) vindas de países-membros do grupo.

“A China é contra a tentativa de diminuir o papel da OMC, impulsionada por alguns membros do grupo, após seus apelos não terem sido atendidos”, disse Gao Feng, porta-voz do ministério.

Os comentários ocorrem dias após Robert Lighthizer, representante dos Estados Unidos na OMC, ter criticado a organização pelo que disse que é uma perda de foco nas negociações comerciais e por ficar mais centrada em litígios, não conseguindo reforçar suas atuais regras. Embora Lighthizer não tenha mencionado a China, ele fez do país um alvo claro de suas críticas.

Os Estados Unidos, a União Europeia (UE) e o Japão concordaram e aumentar a pressão sobre países que subsidiam empresas domésticas e exigem que companhias internacionais transfiram tecnologia a concorrentes locais, em um recado velado aos chineses.

Em um comunicado conjunto emitido em uma reunião da Organização Mundial do Comércio (OMC), em Buenos Aires, as três partes não se referiram à China pelo nome, mas duas fontes afirmaram que o comunicado mirava nas políticas de Pequim.