China planeja punir manipulação de preços

Esse é o mais recente sinal das preocupações do país com o aumento da inflação

Pequim – A China prometeu punir mais severamente atividades especulativas como entesouramento e manipulação de preços, para estabilizar a inflação ao consumidor. Esse é o mais recente sinal das preocupações do país com o aumento da inflação, que ameaça o crescimento econômico e a estabilidade social.

Em comunicado, o Conselho Estatal, gabinete de governo da China, informou que vai revisar as regulamentações e aumentar as penalidades para várias formas de especulação de preços. No entanto, o comunicado não deu maiores detalhes.

As emendas provavelmente terão como objetivo reforçar uma série de medidas administrativas implementadas no começo deste mês para controlar artificialmente os preços dos produtos de necessidade diária.

Recentemente, Pequim adotou meios mais convencionais de controle da inflação, como aumento nas taxas de juros básicas e aperto no crédito bancário. No entanto, em outubro a inflação chinesa atingiu a máxima em 25 meses de 4,4%.

Em separado, a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC, na sigla em inglês), a mais alta agência de planejamento econômico da China, defendeu a estabilidade de preços nos mercados, mas disse que os controles de preços devem ser temporários, podem não ser aplicados nacionalmente e têm efeitos limitados sobre as operações das empresas. As informações são da Dow Jones.