China pede solidariedade no G20 em razão de ataques a Paris

Líderes do Grupo das 20 (G20) principais economias do mundo, incluindo os Estados Unidos, China, Austrália e Brasil, vão se reunir no domingo e segunda-feira

Belek – Eventos como os ataques em Paris tornaram crucial para as economias mais importantes do mundo ficarem fortes e aumentarem a sua solidariedade quando se reunirem em uma cúpula neste fim de semana na Turquia, afirmou neste sábado o vice-ministro das Finanças da China, Zhu Guangyou.

Líderes do Grupo das 20 (G20) principais economias do mundo, incluindo os Estados Unidos, China, Japão, Rússia, Canadá, Austrália e Brasil, vão se reunir no domingo e na segunda-feira no resort mediterrâneo de Antalya, para discutir questões econômicas globais principalmente, mas também os ataques Paris também descobrir.

“Embora reconheçamos os riscos colocados pelo terrorismo e seu grande impacto negativo sobre o desenvolvimento econômico, devemos dar a nossa devida resposta a isso”, disse Zhu, em uma entrevista coletiva em Belek, sudoeste da Turquia, falando através de um intérprete.

“Devemos trabalhar juntos, temos de melhorar a nossa solidariedade.”