China impede que embaixada sueca entre em contato com detido

Dahlin foi detido em 4 de janeiro no aeroporto de Pequim por "colocar em perigo a segurança do Estado", informou ONG

As autoridades chinesas impedem que diplomatas suecos entrem em contato com seu compatriota Peter Dahlin, detido neste país desde 4 de janeiro, informou a ONG para a qual ele trabalha.

Dahlin necessita de tratamento médico diário porque sofre de uma doença potencialmente fatal, afirma um comunicado da Chinese Urgent Action Working Group recebido pela AFP.

A ONG também está sem notícias da companheira de Dahlin, de nacionalidade chinesa.

“Peter sofre do Mal de Addison, uma doença hormonal causada por um dano na glândula adrenal, que é potencialmente fatal se não for tratada cotidianamente”, alerta o texto.

Dahlin foi detido em 4 de janeiro no aeroporto de Pequim, indicou a ONG, citando fontes chinesas.

Segundo as autoridades chineses, Dahlin foi detido por “colocar em perigo a segurança do Estado”, informou a ONG.

A associação para a qual trabalha tem como missão apoiar na China “os defensores dos direitos humanos que sofrem problemas, principalmente com a justiça”.