China: EUA é arrogante e guerra comercial é uma “guerra do povo”

Na China, propaganda estatal critica os EUA e alerta que guerra comercial ameaça não só a economia, mas a população chinesa

São Paulo – A guerra comercial entre Estados Unidos e China entrou em uma nova e mais tensa fase nos últimos dias, com ambos os lados anunciando aumentos nas tarifas sobre bilhões de dólares em produtos. Em solo chinês, o clima entre os jornais estatais é de alerta e discursos nacionalistas.

“Uma guerra comercial nessa escala jamais foi vista”,  disse o Global Times, em um duro editorial divulgado pela agência Xinhua, “ e o ponto mais importante é que o lado norte-americano luta por arrogância e ganância”, continuou o texto, “já a China contra-ataca para proteger seus direitos e interesses legítimos”.

O editorial acusou, ainda, os Estados Unidos de “atirar para todos os lados”, sem perceber que as medidas anunciadas pelo presidente Donald Trump irão causar danos para a economia americana, além de serem difíceis de serem mantidas no longo prazo. “A China, por outro lado, irá mirar com precisão, evitando machucar a si”.

O texto segue dizendo que a disputa comercial foi criada “por uma pessoa e uma administração, mas afeta a população de todo o país”, além de ameaçar a China e os chineses. “Para nós, essa é uma verdadeira ‘guerra do povo’”, finaliza o veículo.

Na televisão estatal, a CCTV (Televisão Central da China), a guerra comercial também foi tema nesta semana, informou a CNN. “Uma tempestade pode destruir um lago, mas não um oceano. Mesmo depois de muitas tormentas, o oceano continua lá”, comentou a âncora do jornal noturno chinês, “como o presidente Xi já pontuou, a economia chinesa é um oceano, não um lago”.

As palavras desferidas pela imprensa chinesa são duras e reproduzem posicionamentos e opiniões do Partido Comunista da China. O descontentamento é evidente, mas os próximos capítulos dessa guerra comercial são incertos. Alguma novidade é esperada em junho, quando uma cúpula do G20 acontece no Japão e uma conversa bilateral entre Trump e Xi também.