China espera colaboração do Japão com paz e estabilidade regional

Pequim tem a intenção de que, após a realização de eleições, sejam promovidas "ações concretas" para melhorar as relações entre ambos países

Pequim – A China expressou nesta segunda-feira seu desejo de que o Japão contribua para alcançar a paz e a estabilidade regional após a reeleição do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, nas eleições antecipadas realizadas ontem.

“Esperamos que Japão exerça um papel construtivo na paz e na estabilidade regional”, afirmou um porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores, Geng Shuang, em uma coletiva de imprensa em Pequim.

Shuang também falou sobre a intenção de Pequim de que, após a realização de eleições, sejam promovidas “ações concretas” para melhorar as relações entre ambos países.

Pequim e Tóquio tiveram alguns enfrentamentos verbais nos últimos anos, tanto pela disputa das ilhas Senkaku (Diaoyu em chinês), atualmente controladas pelo Japão, como pelo que a China considera uma posição revisionista de Abe e seu governo sobre as atrocidades cometidas durante as invasões japonesas de 1931 e 1937 e a ocupação até 1945.

Após a sólida vitória da coalizão governante que lidera, o líder japonês prometeu “medidas contundentes” para encarar o desafio representado pelos programas armamentistas da Coreia de Norte.

Abe e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tiveram pouco depois uma conversa telefônica na qual decidiram elevar a pressão sobre o regime de Pyongyang.