China confirma viagem de Kim Jong-un para se reunir com Xi Jinping

O presidente chinês e o líder norte-coreano avaliaram os progressos diplomáticos conquistados na península coreana nos últimos meses

Pequim – O presidente da China, Xi Jinping, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, se reuniram ontem e nesta terça-feira na cidade chinesa de Dalian para avaliar os progressos diplomáticos conquistados na península coreana nos últimos meses e as perspectivas para o futuro, anunciou a imprensa oficial chinesa.

A reunião acontece menos de duas semanas depois da histórica cúpula intercoreana realizada em 27 de abril, na qual foi dado o primeiro passo para a reconciliação entre as duas Coreias.

Xi afirmou a Kim que está “feliz” com o “progresso positivo” da situação na península coreana desde a primeira reunião, no final de março em Pequim, segundo indicou a agência oficial chinesa “Xinhua”.

Por sua vez, o líder norte-coreano destacou ao presidente da China que a situação na península “experimentou avanços significativos”.

“Estes são os resultados positivos da reunião histórica” de março em Pequim, recalcou Kim Jong-un.

As reuniões aconteceram entre ontem e hoje em Dalian, seguindo o tradicional sigilo dos encontros entre dirigentes de ambos países.

Só alguns veículos de imprensa asiáticos disseram hoje que em Dalian havia um avião norte-coreano, enquanto o jornal de Hong Kong “The South China Morning Post” avançou que Xi, que devia viajar para essa cidade para os primeiros testes do primeiro porta-aviões construído pela China, poderia ter se reunido com o próprio Kim Jong-un.

Na semana passada, além disso, o ministro chinês das Relações Exteriores, Wang Yi, viajou para Pyongyang e se reuniu com Kim, que insistiu na determinação de eliminar as armas nucleares da península coreana.

O presidente americano, Donald Trump, acaba de publicar uma mensagem em uma rede social na qual diz que falará por telefone com o presidente Xi, para discutir a situação com a Coreia do Norte, as relações bilaterais e comerciais entre Pequim e Washington.