Chegam a 42 os mortos e 55 os desaparecidos pelo tufão “Talas”

O fenômeno afetou especialmente as províncias de Nara e Wakayama, onde ainda existe o perigo de novos deslizamentos de terra

Tóquio – Ao menos 42 pessoas morreram e 55 estão desaparecidas após a passagem neste fim de semana do tufão “Talas” pelo Japão, onde nesta terça-feira continuam os esforços para fazer chegar provisões de emergência a milhares de pessoas que estão incomunicáveis, informou a agência local “Kyodo”.

O “Talas” afetou especialmente as províncias de Nara e Wakayama, onde ainda existe o perigo de novos deslizamentos de terra e há comunidades inteiras sem água potável, segundo “Kyodo”.

Além disso, cerca de 1.680 casas de Nara estão sem energia elétrica e 20 mil linhas telefônicas estão sem serviço em Wakayama, onde 320 policiais de diferentes pontos do país ajudam nos trabalhos de resgate.

As estradas estão cobertas de terra por causa das avalanches, o que dificulta a busca de desaparecidos, e a reparação das redes hidráulica e elétrica em várias áreas, sendo necessário uso de máquinas pesadas para desbloquear as vias.

Uma das cidades mais afetadas de Wakayama foi Shingu, de 32 mil habitantes, cuja Prefeitura enviaria nesta terça-feira água e outras provisões a 26 pontos que ficaram isolados e onde residem principalmente pessoas de idosas.

O Governo de Nara se dispôs a transportar de helicóptero uma tonelada de água e arroz para o povoado de Totsukawa, também incomunicável por causa do desastre.

“Talas”, rebaixado a tempestade tropical, movimenta-se agora pelo Mar do Japão em direção ao norte e com o tufão “Noru”, que avança pela costa nordeste japonesa, está causando fortes chuvas na ilha de Hokkaido e outras regiões do norte do país, que estão em alerta por avalanches e inundações.

A Agência Meteorológica do Japão espera que a água acumulada em 24h possa alcançar 180 milímetros na manhã desta quarta-feira em Hokkaido e 80 milímetros na zona de Tohoku, que ficou devastada há seis meses pelo terremoto e o tsunami de 11 de março.