Chefe de polícia chinês acusado de corrupção

O delegado Zhao Haibin é suspeito de possuir ao menos 192 propriedades imobiliárias e um documento falso

Pequim – Um chefe de polícia chinês da cidade de Lufeng, na província de Guangdong, é suspeito de possuir ao menos 192 propriedades imobiliárias e um documento falso, informou a imprensa oficial ao fazer revelações de escândalos de corrupção.

O delegado Zhao Haibin acumulou, nos últimos anos, propriedades imobiliárias violando a lei e em contradição com o nível teórico de sua renda, denunciou um empresário chinês.

Zhao Haibin comprou propriedades em nome de uma sociedade fundada há alguns anos, noticiou o jornal de Cantão, que aponta ainda que o delegado utilizava um documento falso.

Segundo o jornal, o delegado Zhao se defendeu dizendo que as propriedades eram de seu irmão menor e ele próprio as administrava.

A comissão local de controle de disciplina de Lufeng, instância que monitora a conduta dos quadros do Partido Comunista, indicou à AFP que havia realizado uma investigação que confirmou as acusações do delegado questionado.