Chef é declarado culpado de homicídio após cozinhar a esposa

O americano prendeu a esposa para que ela não fugisse e foi dormir; no dia seguinte, entrou em pânico ao encontrá-la morta e decidiu cozinhá-la

Los Angeles – Um chef dos Estados Unidos foi declarado culpado de homicídio doloso esta quinta-feira, após admitir ter cozinhado a própria esposa em fogo lento, por quatro dias, para se livrar das evidências do crime, embora afirme que ela morreu acidentalmente.

David Viens, de 49 anos, contou à polícia que prendeu a esposa, Dawn, de 39, com fita adesiva para que não fugisse e em seguida foi dormir. Quando acordou, quatro horas depois, disse tê-la encontrado morta e entrou em pânico.

“Eu a cozinhei por quatro dias. Eu a deixei esfriar, a coei e depois joguei os restos no lixo”, contou o homem aos detetives, conforme relato do julgamento. O corpo de Dawn nunca foi encontrado desde que ela desapareceu, em outubro de 2009.

Viens, ex-dono de um restaurante em Lomita, ao sul de Los Angeles, prendeu a esposa de forma similar duas vezes antes porque, afirmou, “não queria que dirigisse intoxicada, perdida pela cocaína e pela bebida”, disse.

A promotora Deborah Brazil pediu que Viens fosse declarado culpado de homicídio doloso qualificado, com o argumento de que a morte da esposa “não foi um acidente”.

Dawn “provavelmente morreu de forma muito mais violenta” – por estrangulamento, por exemplo – do que admitiu o marido, disse a promotora.

“É por isso que o acusado precisou de quatro dias para destruir por completo e descartar o corpo de Dawn Viens”, emendou.

Os seis homens e seis mulheres do júri deliberaram durante cinco horas e meia antes de entregar o veredicto de homicídio doloso.

Viens se apresentou ao tribunal em cadeira de rodas, devido a ferimentos sofridos após pular de um despenhadeiro de 25 metros em fevereiro de 2011, pouco depois de contar para a namorada que a morte da esposa foi um acidente.

Ele também contou à filha que a mulher havia morrido acidentalmente.