Chávez vota em seção de bairro popular em Caracas

"É um dia de alegria, um dia de democracia, um dia de pátria", declarou o presidente da Venezuela e candidato à reeleição

Caracas – O presidente da Venezuela e candidato à reeleição, Hugo Chávez, votou neste domingo no colégio Manuel Palacio Fajardo, no bairro popular 23 de Enero, no oeste de Caracas, às 13h30 locais (15h de Brasília).

‘É um dia de alegria, um dia de democracia, um dia de pátria’, declarou Chávez após depositar seu voto em uma pequena urna instalada em uma sala cheia de jornalistas e onde também estavam convidados internacionais como o ator americano Danny Glover e a vencedora do prêmio Nobel guatemalteca Rigoberta Menchú.

Vestido com uma jaqueta azul escura e uma camiseta vermelha por baixo, o presidente destacou que ‘tudo caminha bem’ e que o povo venezuelano está dando uma lição.

Afirmou que pelas ‘informações’ que recebeu a jornada poderia se estender até depois das 18h (19h30 de Brasília), já que a legislação venezuelana estabelece que as seções funcionem até que todos as pessoas presentes tenham votado.

O presidente fez votos para que todos esperem ‘com normalidade democrática, com maturidade democrática’ e ‘empenho democrático’ que o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) anuncie os resultados quando ‘os números são irreversíveis’ e manifestou sua esperança que todos ‘digamos amém’.

Chávez foi acompanhado por suas filhas Rosa e María Gabriela, assim como de seus netos, e antes de votar cumprimentou observadores internacionais, militares e vários de seus simpatizantes que, enquanto o presidente passava, ofereciam flores e entregaram até mesmo um bebê para que segurasse.

Uma testemunha de mesa interrompeu por minutos o processo de votação de Chávez para cantar uma canção de sua autoria com que pediu a ‘Deus Todo Poderoso’ que abençoasse o líder.

Chávez, de 58 anos e no poder desde 1999, busca sua terceira reeleição seguida, em um processo em que o principal oponente foi o líder unitário da oposição, Henrique Capriles, um advogado de 40 anos e até recentemente governador do estado Miranda.

Cerca de 19 milhões de venezuelanos vão hoje às urnas eleger o presidente para o período de 2013 a 2019. EFE