Chávez se reuniu com equipe de governo, diz chanceler

Segundo o chanceler venezuelano, Chávez "está na batalha"

Caracas – O presidente venezuelano, Hugo Chávez, que se recupera em Cuba de uma cirurgia realizada em dezembro, participou na quinta-feira de uma reunião com três membros de sua equipe de governo, informou na rede social Twitter o chanceler Elías Jaua, que também assegurou que o presidente “está na batalha”.

O vice-presidente “Nicolás (Maduro), (a procuradora) Cilia (Flores) e eu acabamos de terminar um encontro profundamente humano, bonito com nosso Comandante Chávez. Está na batalha…..!!”, escreveu Jaua em sua conta na rede social.

“Todos estes dias demos a ele as bênçãos, abraços, orações que vocês com tanto amor mandam a ele. Ele agradece com mais amor”, acrescentou o chanceler venezuelano, que está de visita à ilha.

A visita de Jaua, Maduro e Flores ocorreu na quinta-feira, quando o governo venezuelano divulgou fotografias dos três líderes junto a duas imagens religiosas que levavam de presente a Chávez. Não se sabe exatamente quando chegaram à ilha, quando planejam voltar à Venezuela, nem em que temas tocaram em sua reunião com o presidente.

Chávez, de 58 anos e operado no dia 11 de dezembro em Cuba de uma recorrência do câncer que o atinge desde 2011, não aparece em público desde que viajou para a ilha, um dia antes de sua cirurgia.


Nas últimas semanas, o governo insistiu que Chávez – que recebeu as visitas de autoridades governistas em várias ocasiões – está em franca melhoria e cada vez mais incorporado as suas funções de governo.

Segundo afirmou Maduro na última sexta-feira, Chávez encerrou o ciclo pós-operatório após a cirurgia e agora está em uma nova fase do tratamento contra o câncer.

Devido a sua nova recaída, Chávez não pôde participar no dia 10 de janeiro de sua nova cerimônia de posse, depois de ter sido reeleito em outubro. O ato foi adiado indefinidamente com o aval do Supremo Tribunal de Justiça, que decidiu que o presidente faça seu juramento quando estiver em condições.

Chávez goza desde dezembro de uma autorização da Assembleia Nacional, de maioria governista, para se ausentar de forma indefinida do país até se recuperar.