Chávez desapropria 2 empresas, uma ligada ao escândalo da maleta

A Venoco, que tinha Franklin Durán e Carlos Kauffman entre os acionistas, e a Fertinitro, com capital norte-americano e italiano, foram o alvo do presidente

Caracas – O presidente venezuelano, Hugo Chávez, anunciou neste domingo a desapropriação da empresa de lubrificantes para uso automotivo Venoco, cujos acionistas estavam vinculados ao chamado “escândalo da maleta”, e da Fertinitro, empresa mista de fertilizantes com capital americano e italiano.

Entre os acionistas da Venoco figuram os empresários Franklin Durán e Carlos Kauffman, envolvidos no caso de uma maleta com 800.000 dólares confiscado de m empresário num voo entre Caracas e Buenos Aires em 2007, e que seria, segundo testemunhas, uma doação do Estado venezuelano à campanha presidencial da então candidata e atual presidente argentina Cristina Kirchner.

Os dois empresários foram acusados pela justiça americana de serem agentes encobertos da Venezuela em Miami para conspirar para ocultar a origem e o destino desse dinheiro. Kauffmann aceitou colaborar com a justiça e está em liberdade e Durán continua preso.

Por outra parte, o presidente desapropriou a Fertilizantes Nitrogenados da Venezuela (Fertinitro), uma empresa mista dedicada de produção de fertilizantes, na qual participam a americana Koch, com 35% do capital, e a italiana Snamprogetti, com cerca de 20% das ações.

Na semana passada, o presidente desapropriou a emprsa Agroisleña, dedicada à produção de químicos agropecuários e suporto tecnológico para a agricultura, acusando-a de especular com os preços de seus produtos.

Leia mais notícias sobre a Venezuela

Siga as notícias do site EXAME sobre Mundo no Twitter