Casas pagam aos que optaram pelo “não” da independência

Algumas casas de apostas já começaram a pagar aos clientes que arriscaram um palpite e colocaram dinheiro no "não" da independência escocesa

Londres – Apesar das enquentes não apontarem um claro vencedor no referendo sobre a independência da Escócia, algumas casas de apostas já começaram a pagar aos clientes que arriscaram um palpite e colocaram dinheiro no “não”.

A firma de apostas “Betfair” indicou que pagou “substanciais somas de seis dígitos” aos que não acreditavam que a maioria dos escoceses votaria na consulta de hoje a favor da secessão.

A empresa está tão segura com relação à vitória do “não” que alguns poucos sortudos não tiveram que esperar pela divulgação do resultado do referendo, o que acontecerá amanhã.

“Betfair” explicou que a tendência marcada pelas apostas de seus clientes sugere que a opção da rejeição à independência tem 79% de possibilidades de sair vencedora.

Há dois dias, um cliente que apostasse 100 libras (126 euros) a favor do “sim”, poderia ganhar 450 libras (570 euros), enquanto caso optasse pelo “não”, poderia ganhar 127 libras (160 euro).

A torcida é tão grande no Reino Unido que outra casa de apostas, “William Hill”, estimou que este setor poderia embolsar até 10 milhões de libras (12,6 milhões de euros) por ocasião da convocação desta consulta.

Uma pesquisa da firma “YouGov” para os jornais “The Sun” e “The Times” outorga hoje ao “não” à independência da Escócia uma vantagem de quatro pontos, com 52% dos votos contrários à cisão contra 48% favoráveis.

O estudo foi efetuado entre segunda-feira e quarta-feira, véspera do referendo, com 3.237 pessoas que já tinham participado de outra pesquisa idêntica em 12 de agosto e 10 de setembro, o que transforma esta pesquisa em uma das mais precisas.