Casa Branca nega envolvimento de Trump em investigação sobre corrupção

O comitê que organizou a cerimônia de posse do presidente norte-americano está sob investigação

A Casa Branca declarou, nesta terça-feira (5), que uma nova investigação por corrupção na posse do presidente Donald Trump não tem nada a ver com o próprio presidente.

Os procuradores federais de Nova York emitiram uma intimação, ontem, para avaliar os registros financeiros, entre outros, do Comitê de Posse de Trump, em busca de informação sobre os 107 milhões de dólares arrecadados para a cerimônia em 20 de janeiro de 2017.

A intimação busca documentos relacionados com doadores, fornecedores, serviços terceirizados e contas bancárias ligadas a esse comitê, o que sugere possíveis suspeitas de fraude e de lavagem de dinheiro, revela o jornal The Washington Post, que teve acesso ao documento.

Veja também

O texto se concentra, em parte, em um doador – o investidor de risco Imaad Zuberi – e em sua companhia em Los Angeles, a Avenue Ventures, que doou 900 mil dólares para a posse, acrescenta o Post.

Um porta-voz do comitê confirmou que estão revisando a intimação. “É nossa intenção cooperar com a investigação”, frisou o assessor.

A investigação aumenta a pressão legal sobre uma Casa Branca já ameaçada em várias frentes de atuação pelo procurador especial Robert Mueller, sobre a suspeita de conluio da equipe de campanha de Trump com a Rússia na eleição presidencial de 2016.

A porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, disse que as operações do comitê de posse não envolveram Trump. “Isso não tem nada a ver com a Casa Branca”, garantiu. “Acredito que o fio condutor é uma histeria sobre o fato de este presidente ter-se tornado presidente”, declarou à CNN.

“O fato de essas coisas terem ocorrido literalmente não tem absolutamente nada a ver com o presidente”, acrescentou. “Tem tanto ódio por aí que buscarão qualquer coisa para tentar criar e vincular os problemas a este presidente”, concluiu.