Carro de cardeal é usado para transportar drogas na França

Carro com patente diplomática do Vaticano, que pertence a cardeal argentino, foi interceptado com 4 kg de cocaína e 200 gramas de maconha

Lyon – Um carro com patente diplomática do Vaticano, pertencente ao cardeal argentino Jorge María Mejía, foi interceptado neste domingo nos Alpes franceses com quatro quilos de cocaína e 200 gramas de maconha, informaram nesta terça-feira fontes judiciais francesas.

O Vaticano confirmou a informação rapidamente e esclareceu que nenhum funcionário ou autoridade da Santa Sé estava envolvido no assunto.

O automóvel da marca Ford, parado na estrada de Chambery, leste da França, proveniente, ao que parece, da Espanha, pertence ao cardeal argentino Jorge María Mejía, 91 anos, bibliotecário emérito da Santa Sé.

Mejía, nomeado cardeal em 2001 pelo papa João Paulo II, se aposentou em 2003 e atualmente está acamado.

O carro diplomático era conduzido por dois italianos de 30 e 41 anos que foram detidos e estão a disposição da justiça, acusados de tráfico de drogas.

Os italianos não tinham passaporte diplomático.

Ao que parece, o secretário particular do cardeal Mejía confiou o automóvel aos dois italianos para que fizessem uma revisão técnica, indicou a rádio RTL.

Os dois aproveitaram a ocasião para viajar à Espanha e comprar a droga, pensando que um carro diplomático não seria parado pelas forças de segurança, acrescentou a fonte.

Esta versão não pôde ser confirmada.

Mejía foi uma das primeiras pessoas que o papa Francisco visitou dois dias após sua eleição, no dia 15 de março de 2013.

Naquela época Mejía estava em um hospital se recuperando de um infarto.