Cápsula que resgatou mineiros chilenos é exposta em Londres

A jaula metálica Fênix 2 retirou 33 mineiros que permaneceram presos durante 69 dias sob a terra no norte do Chile

Londres – A cápsula que retirou os 33 mineiros que permaneceram presos durante 69 dias sob a terra no norte do Chile em 2010 ficará exposta a partir deste sábado em Londres, na primeira apresentação na Europa deste “símbolo do resgate”.

“Fênix 2”, a jaula metálica de quase 4 metros de comprimento e 53 centímetros de diâmetro pintada com as cores vermelho, azul e branco da bandeira chilena, ficará exposta até o dia 13 de maio no Museu da Ciência.

A responsável de ciência contemporânea do popular museu britânico, Katrina Nilsson, afirmou em um comunicado que a cápsula é “um símbolo do resgate sem precedentes dos 33 mineiros”.

“Estou certa de que todos podemos nos lembrar do momento no qual o primeiro deles foi retirado da superfície após permanecerem presos por quase 10 semanas”, acrescentou, destacando sobretudo os “desafios técnicos que as equipes de resgate enfrentaram durante esta operação extraordinária”.

Os mineiros viveram uma saga incrível. Presos no dia 5 de agosto de 2010 a 700 metros de profundidade na mina San José, na região do Atacama, e dados como mortos após 17 dias de silêncio, conseguiram finalmente fazer chegar à superfície um papel que dizia “estamos bem no refúgio os 33”.

Começou então uma complexa operação para retirá-los, que incluiu a concepção desta sofisticada cápsula desenhada pela Marinha chilena com a colaboração da Agência Espacial Americana (Nasa).

O resgate, que também exigiu a perfuração de um túnel de mais de 600 metros, começou no início de 13 de outubro e foi concluído 22 horas depois com todos os mineiros libertados sãos e salvos, em uma operação acompanhada em todo o mundo.