Candidato governista e Kirchner empatam em primária argentina

Coalizão liderada pelo ex-ministro da Educação de Mauricio Macri, Esteban Bullrich, tinha 34,19 por cento, enquanto a ex-presidente tinha 34,11 por cento

Buenos Aires – A ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner estava empatada com o candidato do governo do atual presidente Mauricio Macri com quase 100 por cento dos votos apurados, em uma eleição primária para o Senado vista como um teste para um possível retorno da esquerda e o fim da agenda reformista de Macri.

Com 95,58 por cento dos votos da província de Buenos Aires –que abriga quase 40 por cento do eleitorado argentino– apurados, a coalizão liderada pelo ex-ministro da Educação de Macri Esteban Bullrich tinha 34,19 por cento, enquanto Cristina tinha 34,11 por cento, na madrugada desta segunda-feira.

Nunca houve dúvidas de que Cristina –que concorreu sem oposições dentro de seu próprio partido– se candidataria ao Senado na eleição do dia 22 de outubro, mas muitos investidores temiam que um resultado forte da ex-presidente poderia enfraquecer Macri e preparar o caminho para o retorno de Cristina à Presidência em 2019.

O peso argentino havia caído cerca de 9 por cento desde que Cristina formou um novo partido político e declarou sua candidatura no dia 24 de junho. Cristina Kirchner foi presidente de 2007 a 2015 e foi indiciada por corrupção no último ano.

Veja também