Canadá sacrifica 146 mil aves contra gripe aviária

Em uma vasta zona se proibiu o trânsito de aves, carnes, ovos, equipamentos ou alimentos que podem ter tido contato com aves infectadas

Montreal – O Canadá anunciou nesta segunda-feira o sacrifício de 146 mil aves de cinco granjas da Columbia Britânica, no oeste do país, após o registro de casos de gripe aviária da cepa H5N2.

Diante desta cepa de alto risco de contágio entre os animais e “devido ao grande número de granjas no sul da Columbia Britânica” estabelecemos uma “zona de controle primário” que vai “além das áreas afetadas”, disse Harpreet Kochhar, chefe veterinário da agência canadense de inspeção de alimentos (ACIA).

Em uma vasta zona – que vai da fronteira com os Estados Unidos, 700 km ao norte da Columbia Britânica, até a província de Alberta – se proibiu o trânsito de aves, carnes, ovos, equipamentos ou alimentos que podem ter tido contato com aves infectadas.

No total, milhares de aves – basicamente frangos e perus – foram sacrificadas mediante o emprego de gás carbônico, de acordo com as normas internacionais.

Os produtores serão indenizados em um prazo de entre seis e dez semanas, pelo valor de mercado nas aves.

As primeiras aves com o vírus foram identificadas na terça-feira, em duas granjas, uma em Plats-bords e outra em Chilliwack. Outras duas granjas em Chilliwack foram isoladas na quinta-feira.

O vírus H5N2 – um subtipo que afeta aves selvagens e domésticas – tem uma alta taxa de mortalidade entre as aves, mas é raramente transmitido para seres humanos.