Canadá recolheu dados de viajantes através de Wi-Fi

A inteligência do Canada realizou um teste de coleta de dados de viajantes que passaram pelos aeroportos e se conectaram a serviços Wi-Fi

Ottawa – A inteligência do Canada realizou, para a NSA dos Estados Unidos e para outras agências de inteligência estrangeiras, um teste de coleta de dados de viajantes que passaram pelos aeroportos e se conectaram a serviços Wi-Fi, o que permitiu rastreá-los por dias, informou a CBC.

A Canadian Broadcasting Corporation (CBC) disse que documentos vazados pelo ex-agente da inteligência da NSA, Edward Snowden, mostram que a Communications Security Establishment Canada (CSEC) podia seguir os movimentos dos canadenses que passaram pelos aeroportos e se conectaram aos sistemas W-iFi com telefones celulares, tablets ou computadores portáteis.

O documento mostra que a agência podia acompanhar os viajantes por uma semana ou mais enquanto seus dispositivos sem fio os identificavam através do Wi-Fi em outras cidades do Canadá, e inclusive nos aeroportos dos Estados Unidos.

Isto incluía as pessoas que iam a outros aeroportos, hotéis, cafés e restaurantes, bibliotecas, terminais de transporte terrestre e outros locais com acesso sem fio público à internet.

Segundo a lei canadense, a missão da agência de espionagem é recolher principalmente inteligência estrangeira mediante a interceptação de tráfego telefônico e de internet fora do país. A CSEC não tem poderes para investigar canadenses ou qualquer pessoa no Canadá sem uma ordem judicial.

Nos últimos meses, a agência foi acusada de agir dentro do Canadá.

A CSEC é acusada de ter colaborado com a NSA, fornecendo inteligência durante uma cúpula do G-20 em Toronto em 2010.

O relatório sobre a intervenção nos aeroportos contradiz as recentes declarações do chefe da CSEC, John Fortster, que disse: “Proteger a privacidade dos canadenses é nosso princípio mais importante”.

O primeiro-ministro Stephen Harper nomeou um investigador independente para garantir que o serviço de inteligência cumpra com a lei.

A CBC disse que a agência de espionagem estava testando um novo e potente software que havia desenvolvido com a NSA. Segundo ela, a tecnologia foi adotada em 2012 e agora está em pleno funcionamento.