Canadá diz que 25% dos impostos da maconha irão para o Estado

Legalização da substância acontecerá em 1 de julho do ano que vem em todo o país

O Estado canadense anunciou nesta segunda-feira que prevê ficar com 25% das receitas fiscais sobre a venda de maconha, cuja legalização acontecerá em 1 de julho do ano que vem. O restante ficará para as províncias e territórios.

“Concordamos que o governo federal fique com 25% das receitas fiscais durante os próximos dois anos e em deixar 75% dessas receitas fiscais com as províncias”, declarou nesta segunda-feira Bill Morneau, ministro das Finanças, junto com seus homólogos das dez províncias e três territórios canadenses.

O primeiro-ministro, Justin Trudeau, recebeu em outubro críticas de legisladores locais depois de ter proposto uma distribuição 50/50 entre o Estado federal e as províncias e territórios.

Segundo as últimas estimativas divulgadas nesta segunda-feira por Bill Morneau, as receitas fiscais sobre a venda de maconha podem ultrapassar 400 milhões de dólares canadenses (cerca de 310 milhões de dólares americanos).

Ao deixar a maior parte das receitas fiscais da maconha com as províncias e territórios, o governo lhes permite “gestionar equitativamente seus custos”, informou Morneau.